Parabéns

Parabéns
Participem com contos, sugestões e fotos para incluir no nosso blog. Podem enviar para o nosso contacto : pontoerotyco@gmail.com - vamos chegar às 400 000 visualizações

sexta-feira, 29 de junho de 2012

FOTOS DOS LEITORES - CASAL BAIANO

COM UM GRANDE AGRADECIMENTO AO MEU AMIGO BAIANO QUE CONSEGUI CONVENCER A ME CEDER ESSAS FOTOS DELICIOSAS. 














sexta-feira, 22 de junho de 2012

NOME DO MEDICAMENTO ....HOMEM

Nova página 1



INDICAÇÕES: 

Homem é recomendado para mulheres em geral. Homem é eficaz no controle do desânimo, da ansiedade, irritabilidade, mau-humor, insônia,
etc....

POSOLOGIA E MODO DE USAR: 
Homem deve ser usado pelo menos três vezes por semana. Não desaparecendo os sintomas, aumente a dosagem ou procure outro. Homem é apropriado para uso externo ou interno, dependendo das necessidades da mulher.

PRECAUÇÕES: 

Mantenha longe do alcance das amigas.
Manuseie com cuidado, pois o Homem explode sob pressão, principalmente quando associado a álcool etílico.
É desaconselhável o uso imediatamente após as refeições.

APRESENTAÇÃO: 


Mini, Midi, Plus ou Super Mega Maxi Plus
CONDUTA DE OVERDOSE: 

O uso excessivo de Homem pode produzir dores nas ancas,dores abdominais, entorses, contraturas lombares, assim como ardor na região pélvica. Recomenda-se banhos de assento, repouso, e contar vantagem para a melhor amiga.

EFEITOS COLATERAIS: 

O uso inadequado de Homem, pode acarretar gravidez e acessos de ciúmes.
O uso concomitante de produtos da mesma espécie pode causar enjoo,
 fadiga crônica e, em casos extremos, lesbianismo.

PRAZO DE VALIDADE:


O número do lote e a data de fabricação, encontram-se no Bilhete de identidade e no cartão de crédito.

COMPOSIÇÃO:

Água, tecidos orgânicos, ferro e vitaminas do complexo P.
Atenção: não contém SIMANCOL.

CUIDADO:

Existem no mercado algumas marcas falsificadas, a embalagem é de
excelente qualidade, mas quando desembrulhado, verifica-se que o produto não fará efeito nenhum, muito pelo contrário, o efeito é totalmente oposto, ou seja, além de não ser eficaz no tratamento das mulheres, podem agravar os sintomas e até inibindo o efeito do medicamento correto.

INSTRUÇÕES:


1 - Ao abrir a embalagem, faça uma cara neutra: não se mostre
muito empolgada com o produto. Se fica muito seguro de si, o homem não
funciona bem e vive dando defeito.

2 - Guarde em local fresco (homem fedorento não dá) e seguro (não esqueça que ele é o sexo frágil).

3 - Deixe fora do alcance daquela vizinha loira e sorridente. Ela pode fazer um estrago no seu produto.

4 - Para ligar, basta uns beijinhos no pescoço pela manhã. Para desligar,
providencie uma noite de sexo. Ele dorme feito uma pedra e não diz nem
boa noite (falta de educação é um defeito de fábrica).

5 - Programe-o para assinar os talões de cheque sem fazer muitas perguntas.

6 - Carregue as baterias três vezes por dia: café da manhã, almoço e jantar.
Mais do que isso provoca pneuzinhos indesejáveis.

7 - Em caso de defeito, algumas táticas costumam dar certo: Comece escondendo o controle remoto. Se a falha persistir, cancele o futebol do fim de semana e o chope com os amigos.
Mas se o problema for grave mesmo, é preciso tratamento de choque: a única solução é greve de sexo.

8 - Coisas que ele sabe fazer bem (trocar lâmpada, abrir vidro de palmito, azeitonas e maionese, abrir latas em geral, trocar pneu, carregar malas, pregar pregos na parede, trocar torneiras, chuveiros etc ) devem ser estimuladas.

ATENÇÃO: 
Homem não tem garantia e todas as espécies são sujeitas a defeitos de
fábrica, como deixar toalha molhada na cama, urinar na tampa da privada, deixá-la levantada, fazer bagunça, espalhar as coisas,criticar, reclamar, se auto-exaltar, beber demais, comer cebola, esquecer datas de aniversário, roncar, etc....

Não existe conserto. A solução é ir trocando até que se ache a fórmula ideal, recentes pesquisas informam que ainda não foi INVENTADA; mas não custa tentar.
 

segunda-feira, 11 de junho de 2012

MARIDO DE MINHA AMIGA É...HOMEM - parte 4


AUTOR - MAXIMUS

Nos últimos meses Elisa estava um porre!
Depois de muitas e muitas trepadas, ela deixava transparecer o seu lado feio. O lado da mulher executiva, que tudo quer ao seu modo, sempre impondo sua vontade. Nossas transas já estavam pra lá de complicadas, isso sem contar o fato de que nas últimas vezes ela me propunha a idéia mais absurda da vida: Fruto de uma mente possessíva, Elisa almejava separar-se do corninho do Luiz para, segundo ela, casar-se comigo!!!

Jamais passou pela minha cabeça, viver com aquela mulher! Sem dúvida ela era um tesão na cama. Mal amada e mal comida pelo marido, fodia quanto podia, feito uma cadela no cio!
Não havia limites para a sua libido.Nossas conversas estavam cada dia mais azedas e agora eu tentava evitá-la a todo custo.
Sexta feira de chuva em São Paulo, fim de tarde e eu de saco muito cheio no escritório. Que semana de merda, clientes mimados ligando a todo minuto, exigindo coisas absurdas... nestes momentos eu divagava e sonhava em mandar tudo a merda! Ainda bem que amanhã vou andar de kart e depositar toda minha frustração e ansiedade no pedal do acelerador. Lá dentro do meu capacete é o lugar onde me sinto melhor no mundo. Sozinho com meus pensamentos e sensações. Quem já correu sabe do estou falando.
Minha secretária interfona e me diz que a Sra. Alice do Banespa estava na ante sala esperando para me ver.
- Célia, ela tem horário marcado? Você agendou algo?
- Não Dr.Máximus! Ela disse que foi o diretor geral do banco que lhe deu seu telefone e pediu a gentiileza de atendê-la.
- Ok, por favor leve-a até a sala de reuniões que estarei lá em segundos.
Resolvi mais alguns assuntos de papéis da minha mesa, coloquei meu paletó dei uma ajeitada na gravata e pensei comigo mesmo:
- Que saco!!! Em plena sexta feira!!! No fim do expediente!!!
Torci a maçaneta e entrei na sala. A mulher estava de costas para mim. Fechei a porta e dei um sonoro boa tarde!!
A mulher se levantou.
- Elisa!?!?! O que você está fazendo aqui?
- Você não retorna meus telefonemas, seu filho da puta!
- Fale baixo, aqui é ambiente de trabalho, não é lugar para escândalos!
- Escândalo o caralho!!! Se você não conversar comigo agora, vou fazer uma puta baixaria aqui!!
- Elisa, por favor, sente-se!, vamos conversar com calma, está bem?
Elisa sentou-se, visivelmente contrariada e com os olhos marejados de lágrimas.
Fuzilou-me com o olhar e disse:
- Você sabe que na tua boca eu me senti realmente mulher?? Que no teu toque eu me realizei e que na tua rola, cheia de tesão eu quis morrer?
- Elisa eu também adoro transar com você, mas já conversamos sobre isso. É físico! Quando você pressiona dessa maneira, só faz diminuir o tesão!
- Eu sei, mas não consigo me controlar. É como se fosse uma droga! Eu não vivo sem ela. Se ao menos aquele merda do Luiz me comesse como você, seria mais fácil.
Naquele momento, tive realmente pena da Elisa. Aquela mulher soberba estava acabada, se humilhando, implorando por uma rola. Me aproximei e a abracei ternamente. Elisa apoiou sua cabeça em meu peito e chorou. Chorou muito, um choro sentido, doído. Choro de mulher negligenciada.
- Meu amor, por favor seja racional. Você realmente teria coragem de enfrentar a Martha, depois disso tudo? Vocês são amigas!
- Eu sei. Mas também sou egoista. Que se foda a Martha, eu quero você pra mim!
Elisa me olhou nos olhos profundamente. Sua boca estava a menos de cinco centímetros da minha. Seu perfume Channel me inebriava. Lentamente me aproximei...mais e mais, olhando no fundo dos seus olhos, até que nossos lábios se tocaram suavemente. Elisa beijou minha boca com vontade e paixão.
O beijo apaixonado, aos poucos ganhou intensidade e tesão. Elisa mordiscava meus lábios e me abraçava com muita ternura.
Naquele momento pensei como era frágil e delicada. A máscara de executiva durona era a mais pura defesa da sua fragilidade.
Estiquei minha mão e interfonei, com Elisa beijando meu pescoço.
- Célia, se você não tiver mais nenhum serviço, pode ir.
- Obrigado Dr. Máximus, bom fim de semana.
- Obrigado Célia para você também! Por favor tranque a porta que na hora de ir embora eu a abro por dentro.
Mal desliguei o fone, Elisa caiu de joelhos no chão acarpetado da sala de reuniões e feito uma vadia esfomeada, foi soltando meu cinto, abrindo o zíper e caindo de boca no meu caralho, que aquela altura estava a meia bomba.
Puxou a pele pra trás, expondo todo o prepúcio, deliciando-se com o cheiro e o gosto do caralho, Elisa passava-o gentilmente no rosto, nos lábios e nos olhos. Ora colocando-o na boca, ora o esfregando, lambuzado com sua saliva pelo próprio rosto. Aquela cena foi me excitando. Eu segurava Elisa pelos cabelos e com as costas apoiadas no alto espaldar da cadeira, controlava o ritmo da chupada. Da glande até o talo, Elisa sorvia cada aroma, cada sabor, levemente ela roçava seus dentes na cabeça sabendo que aquilo me levava a loucura. Alternava movimentos suaves exageradamente úmidos, em que a baba escorria me molhando todos os pentelhos, a outros, fortes e selvagens.
Aos poucos o tesão foi crescendo, brotando no meu âmago, aquela sensação indescritível de quem quer, mas não quer. O frisson do pré gozo crescente em ondas...

- Elisa... eu vou gozaaarr....
Elisa levantou os olhos, chupando de levinho a cabeça vermelha e inchada, como quem chupa um delicioso sorvete. Me olhava fundo nos olhos como quem lança um desafio. Desafiando-me a violar sua boca. Puxou a pele pra baixo e desceu lentamente roçando os dentes por toda extensão do corpo do meu caralho. As veias intumescidas contornavam todo o membro, como um cipó entrelaçado no tronco. Meus sentidos me fugiam...minha mente divagava. O tesão era meu senhor.


video

Segurei o que pude, mas parece que foi pior, pois quando o jato brotou do meu interior, foi forte. Espesso e volumoso. Senti a porra rompendo as paredes da uretra, tal qual uma mangueira pressurizada por uma bomba. Bombeei minha porra na garganta de Elisa.
Sem diminuir a pressão, Elisa mamou com apetite, saciando sua fome de porra. Extasiei-me naquele momento que parecia não ter mais fim. Com maestria, Elisa degustou seu premio e deixou-me completamente limpo. Sem nenhuma palavra, sentou-se de frente para mim de beijou-me demoradamente.
Depois disso afastou-se. Languidamente olhando-me sempre nos olhos, soltou os botões do seu pesado casaco e deixou-o cair aos seus pés. Trajava apenas uma sensual langerie. Um soutien finíssimo de seda e renda branca e uma minúscula calcinha fio dental super cavada. A cor da sua pele contrastava com a lingerie, deixando-a poderosa e sensual.
Livrei-me das calças, camisa, gravata e paletó num passe de mágica e a abracei de frente chupando por entre o decote do soutien aqueles mamilos sensacionais. Duros ao extremo, forçavam o fino tecido como que a rompê-los. Ora mordiscava-os por sobre o tecido, ora insinuava minha língua por entre o decote. Elisa curvava seu corpo para tras, até apoiar sua bunda deliciosa na beirada da enorme mesa de reuniões. Com a mão esquerda, comecei a massagear-lhe a vulva insinuando meu dedo médio por entre o fino elástico da calcinha. Tateando, descobri que Elisa estava ensopada.
Delicadamente, tirei-lhe a calcinha e a recostei na mesa, abrindo suas pernas.
A visão daquela boceta era um espetáculo a parte! Perfeitamente depilada, o clítoris pronunciava-se por entre os grandes lábios, duro e protuberante. De pernas abertas eu podia ver com exatidão todas as suas formas e contornos.
A visão era hipnotizante, fui me aproximando e sentindo aquele cheiro de fêmea que exalava da sua buceta. A pele lisa e alva era um convite a uma chupada.
Aproximei-me devagarzinho e toquei seu clitoris com a ponta da língua. Elisa arqueou o tronco oferecendo-me a buceta. Entrelacei meus braços por sobre as suas coxas e afundei minha cabeça naquela fruta da perdição. Cheirei, bebi, mordi, me saciei naquela buceta suculenta. Elisa pulsava e gozava uma vez após a outra.
Virei-a de bruços arrebitando-lhe o rabo feito uma cadela. De pernas abertas via sua buceta dividida em duas metades deliciosas. Como dois gomos de uma mexerica ponkan. Grossos e úmidos pelo tesão e pela minha saliva.
Enterrei minha cara naquela bunda deliciosa, lambendo cada dobrinha, cada centímetro daquela xana deliciosa. Elisa era a minha cadela, minha potra...minha bezerrinha. A língua ousada percorria suas entranhas, passeando pela sua buceta para repousar naquele cuzinho rozado que eu havia deflorado. Sabendo o tesão que Elisa tinha em levar no rabo, torturava-a lambendo cada dobrinha e pincelando minha lingua na portinha do seu cuzinho. Elisa piscava o rabo feito uma vadia. Agora já experiente na prática anal, Elisa descontraia, mais e mais a musculatura abrindo seu esfincter com maestria. De rabo empinado e fazendo o cuzinho piscar, me olhava com a maior cara de vadia.
- não vai me foder??
Desferi-lhe um tremendo tapa na bunda que marcou-lhe os cinco dedos...
Elisa pingava de tesão. Seus sucos escorriam pelas pernas e sua buceta brilhava na luz da sala.
- Cadela..., desce da mesa! disse segurando-a pelos cabelos. (Elisa adora ser dominada)
Desceu da mesa, gozando...quando levou sua mão a buceta, dei-lhe uma tremenda bronca e um chacoalhão.
- O que você pensa que está fazendo?? Você acha que vai se masturbar na minha frente? Você não queria ser comida??
- Quero...me fode!!!

video

Elisa prontamente caiu no carpete arrebitando o rabo de cadela para mim. Pincelei meu pau na porta da sua buceta e soquei de uma só vez...
Elisa trincou os dentes e empurrou a bunda de encontro a minha virilha...
- issoo...me fode que nem macho, caralho!!!

Segurei-a pelos cabelos e com força arqueei suas costas puxando-a em minha direção. Feito uma égua que leva a rola do seu garanhão, soquei-lhe na buceta com força e profundamente.
Em minutos, Elisa gozava despudoradamente, balbuciava coisas desconexas, ria, chorava, rebolava no meu caralho e pedia mais!!! Mais!!!
Apoiou-se no cotovelo com a cara enfiada no carpete e com a outra mão procurou a verga que lhe estava enfiada. Sabia da suas intenções. Queria o caralho atolado no cú!
Segurei-a pelo pulso dizendo:
- Agora não!! Quem decide sou eu! Você não reclama que o Luiz é frouxo?
- Reclamo...mas por favor, coloca agora...
Outro tapa explodiu em suas nádegas! Senti a sua vagina contrair-se tanto que quase esmagava meu caralho...
- Isssooo...me fodeeee...me bateeee...bateee maiiiisss
- Vadiaaa... Puutaa...Eliiisa... você é uma vadiaaaa!!!
- Soouu...o Luiz nunca vai ver essas marcas na minha bunda, porque ele não está nem ai. Eu sou sua puta simmm, eu queroooo... bate maissss...
Virava a cabeça pra trás me desafiando, querendo mexer com meus brios. Elisa sempre queria estar no controle, seja onde fosse. Confesso que perdi a dó e desferi-lhe um sem número de palmadas naquela bunda alva. Agora um vermelhão se formava e quanto mais eu batia, mais Elisa gostava...
- Me fode seu viadoooo!!!
- Como é que é, sua cadela???
Tirei o pau da sua buceta e sem dó, de uma só vez cravei-lhe no cú...
Elisa levantou o corpo de encontro ao meu peito e com a mão encima do clitoris começou a se masturbar feito louca. Eu estava ensandecido, peguei-a pelos cabelos e forcei seu rosto contra o chão. Com a mão esquerda abri seu rabo e a apoiei em sua bunda. Comecei a socar-lhe violentamente
. Se não fosse consensual com certeza seria um estupro. Meu instinto animal aflorou, já não dominava meus sentidos. Levava meu caralho quase que ao limite do seu ânus para depois desferir-lhe uma estocada profunda, bombando sem trégua...
O suor escorria-me pelo rosto e pelo peito, mas eu, naquele momento estava possuído! Só pensava em fodê-la. Era tesão e raiva misturado. Eu me sentia usado, dominado por aquela mulher e em meus devaneios enfiar-lhe o caralho era o jeito de me vingar.
Meu gozo veio profundo...amargo e espremido, no momento final, levei meu caralho até a porta do seu cú e quando senti o gozo vir-me, atolei no seu cú sem pudor! Ejaculei o que pude, espremido e com força. A fodi de maneira, como nem a uma puta se fode!!
Elisa levantou-se, fitou-me nos olhos e sem dizer nenhuma palavra recolheu suas roupas do chão.
Vestiu-se calada, deu-me um beijo na boca com gosto de despedida e finalmente saiu de minha vida!

MARIDO DE MINHA AMIGA É... HOMEM - parte 3



AUTOR - MAXIMUS

O dia amanheceu ensolarado e os primeiros raios de sol banharam meu rosto pela fresta da veneziana, bocejei e me lembrei da foda bem dada em Elisa na noite anterior...aquela executiva certinha era um tesão na cama, era difícil dizer não para aquela mulher acostumada a tomar decisões e sempre impor sua vontade aos outros.
Só não conseguia impor sua vontade ao Luiz.
Levantei-me, tomei um banho gostoso, coloquei meu calção de banho e dirigi-me a cozinha para o dejejum. Elisa estava radiante, um sorriso rasgado nos lábios, típico de mulher que acaba de ser bem comida...conversa com Martha animada, fazendo planos para mais tarde.
- Luiz, pega a lancha e vamos até aquela prainha da ilha aqui perto...pede pro marinheiro arrumar as coisas, podemos passar o dia lá.
Luiz emite um grunhido imcompreensível, impossível de se distinguir, se era de apovação ou negação. Os sinais da ressaca são evidentes...
Tomamos o café e logo o Marinheiro se aproxima da casa dizendo:
- Dna. Elisa, está tudo pronto, eu já trouxe a lancha e ela está ancorada na orla da praia.
- Obrigada Tião, já vamos descer...
Arrumamos nossas coisas e nos dirigimos a praia, pegamos o bote inflável e o marinheiro nos conduziu até a lancha.
Elisa estava com uma saída de banho branca transparente, toda bordada com um biquini pra lá de pequenino. A visão daquela bunda era tentadora...

Luiz assume o controle da lancha, ante os protestos de Elisa e voa por cima das ondas, fazendo com que o casco colida violentamente contra as ondas. O passeio transformou-se quase numa corrida de “off-shore”. Em alguns minutos nos aproximamos de uma pequena ilhota que reservava em uma pequena baia, uma praia paradisiaca. Areias brancas, protegida do vento com poucas ondas e uma água límpida e transparente.
Desembarcamos e nos deliciamos nessa praia, tomamos umas caipirinhas, comemos uns camarõezinhos empanados, uma verdadeira delícia.
O Luiz novamente exagerou na dose e rapidamente já apresentava sinais de embriaguês, falando alto e contando mil vantagens. Percebí que Elisa já estava constrangida com a situação.
Neste momento, não sei se o balanço excessivo da lancha, o calor, ou as bebidas fizeram com que Martha começasse a passar mal ficando com enjôo.
- Vamos embora – disse Elisa – Martha vamos para casa...
- De maneira alguma, não vou estragar o passeio de vocês...
Neste momento o Luiz já visivelmente embriagado diz uma coisa lúcida
- Elisa, se a Martha quiser o marinheiro a leva...
- É melhor mesmo, assim eu vou me deitar um pouco, tomo um dramin e daqui a pouco eu melhoro...além disso, depois do remédio, vou ficar com o maior sono.
- Puxa, mas que chato – disse Elisa – você não aproveitou quase nada...
- É melhor...
Luiz chama o marinheiro pelo rádio e pede que venha rapidamente.
Quando Martha está embarcando, Luiz recebe uma ligação e diz que necessita voltar a casa para enviar um e-mail para o seu escritório. Constrangido, eu e Elisa dizemos que vamos também, mas Martha e ele dizem para não nos incomodarmos, quando quisermos voltar basta chamar o marinheiro pelo rádio. Luiz entrega seu rádio a Elisa e desaparecem na lancha em plena velocidade...
Eu não podia acreditar que aquilo estava acontecendo...era bom demais pra ser verdade...
De sopetão pego Elisa no colo e beijo sua boca cheio de tesão...ela retribui dizendo:
 - Você acredita nisso??? É muita sorte podermos ficar aqui sozinhos...
Desamarro o laço do seu biquine e livro aqueles seios maravilhosos...a luz do sol faz com que o branco deles contrastem com a sua pele morena e super bronzeada...
Ainda no colo levo-a até a esteira embaixo da tenda guarda-sol...deito-me ao seu lado e começo a beijar aquela boca sem pressa, mordiscando seus lábios levemente, ora beijando-a com minha língua, ora beijando somente os seus lábios com suavidade...
Com a mão esquerda acaricio sua vulva por cima da calcinha, pressionando seu clítoris, masturbando-a com muito carinho...delicadamente coloco meus dedos pela lateral da calcinha e passo a acariciar os grande lábios melados de tesão. Beijo alternadamente, seus olhos, sua boca, mordisco os bicos tesos dos seus seios completamente arrepiados.
Uma leve brisa acaricia nossos corpos e meu pau completamente duro quer a todo custo romper o tecido do meu calção. Devido a atividade da noite anterior a glande escontra-se muito vermelha e até meio inchada de tanto foder a amiga da minha mulher.
Elisa rola por sobre mim e delicadamente solta meu calção livrando meu pau daquele aperto, ainda me beijando começa a punhetar-me com delicadeza. Sua mão lisa e perfumada brinca com o meu caralho teso, enquanto arranha de levinho a pele do meu saco...
- Te adoro...
- Tesãaaaooo...
Elisa beija meu peito e lentamente vai dirigindo-se a minha virilha... ainda me punhetando, inclina meu pau para baixo e começa a dar pequenas moridinhas na sua base...sobe pelo tronco em direção a glande, sempre mordendo-o me dando um tesão incrível.
Ao chegar na cabeça, inicia um chupeta super molhada...baba no meu pau e depois coloca-o novamente dentro da boca sugando toda sua saliva...
Neste momento puxo Elisa pela perna e me posiciono por debaixo dela, iniciando um delicioso meia nove.

Elisa tem um cheiro na boceta maravilhoso...um cheiro de fêmea que me alucina.
Sua lubrificação abundante, escorre por entre os lábios e deixa sua vulva toda molhada. Aproximo meus lábios dos seus grandes lábios e pude perceber o quanto estavam inchados e deliciosos. Super sensíveis ao toque, Elisa se contorce de tesão a cada lambida minha. É uma delícia sentir seu sabor na minha boca.
Neste momento, já super excitada fode meu pau com a boca com muita voracidade... a delicadeza dá lugar ao tesão desenfreado e ela me chupa despudoradamente balbuciando frases inteligíveis...
 – tesãaaoooo, gooosstoooosoooo meee chuuuuuupaaaa, issoooo....aiiiii.....deeeelíiiiciiiiiaa.
Sai de cima de mim e me beija com paixão me abraçando e dizendo baixinho:
 - Eu te adoro...faz muito tempo que não sei o que é ser mulher...
- Eu também te adoro, Elisa... você é um tesão!
Elisa posiciona-se e começa a procurar meu caralho com sua buceta. Sinto aninhar-se na portinha e Elisa de uma estocada só, o enfia até o fundo.
video





Que visão magnífica, aquela fêmea tesuda cavalgando minha rola sem nehum pudor. Seus seios livres balançam ao sabor da foda...agora de cócoras Elisa faz com que entrem até o fundo do seu útero. Tira, coloca-o novamente, ensandecida com o tesão, aperta os músculos vaginais e tranca com força meu pau em seu interior...e num momento de extase supremo, contrai-se gozando demoradamente...
Já sem forças cai sobre meu peito, beijando meu pescoço delicadamente...

Rolo lateralmente, levanto-me e a pego no colo novamente, levo-a até a beirada da água, vou entrando mar adentro sempre levando-a no colo, segura-se no meu pescoço e abraça-me de frente envolvendo minha cintura com suas pernas.
Aponto meu pau para sua buceta e penetro-a fundo com vontade... Elisa estava tão excitada que seus sucos escorriam até pelo meu saco. Vou caminhando com ela assim posicionada e entrando naquelas águas mornas até na altura do meu peito. Ao chegarmos mais no fundo começamos um vai-e-vem dentro dágua, maravilhoso.
Beijo Elisa com muito carinho e assim ficamos por muito tempo ao sabor das ondas. O tesão que sentimos é indescritível. A marola faz com que meu pau entre e saia sem o menor controle, literalmente estamos fodendo ao sabor das ondas. Elisa, exitada com a situação inusitada está super tesuda com seus mamilos tesos cutucando o meu peito. Colo sua boca na minha, anunciando que vou gozar.
- Me espera...Aiii que deliiicciiia... me apertaaaa...aperta minha bundaaa...
- Aiii que delíiciiiia, Elisa....vou gozarrrr
- Vemmm meu tesãooo...me inundaaaa...
Elisa contrai a buceta e eu aumento a velocidade das estocadas. A água facilita a penetração e sua vagina está completamente lubrificada...enterro meu pau até as bolas naquela buceta cheirosa...o Gozo se anuncia e se faz presente, jorro meu leite em seu interior por várias vezes, enquanto Elisa me beija a boca...
Extasiados, saimos da água e nos deitamos nús junto a tenda. Minhas pernas estão tremulas e minhas mãos enrrugadas, mas o tesão de foder Elisa dentro dágua, é uma coisa surreal.
Elisa se aproxima e aninha sua cabeça em meu peito. Me dá delicados beijos no pescoço e diz baixinho no meu ouvido:
- Tesão...adoro você...você me fode como macho...você tem fome da minha buceta...
Assim ficamos entrelaçados, com o sol nos aquecendo por um bom tempo, até que Elisa, com cara de safada, apanha o bronzeador em sua sacola e com a maior cara de puta sem vergonha me diz:
- Será que com o bronzeador você consegue comer meu cuzinho?
- Nossa Elisa, eu preciso respirar, digo sorrindo...
- Mas não sabemos quando teremos outra oportunidade como essa, não é mesmo?
- Verdade...
- E você vai dispensar esse cuzinho delicioso, que só você comeu nessa vida e mais ninguém?
Elisa sabia mexer com meus brios...meu pau já dava sinais de vida...
- Não quer me comer porque? Tá com pena do corninho?
Simplesmente eu sorria, mas meu pau me traia...o lazarento teimava em ficar ereto...
Elisa vendo o efeito que surtia em mim, riu aquele riso debochado, de puta que sabe o que faz, me olhou nos olhos e disse:
- Vai desprezar?? ...vem, fode tua putinha...
Colocou uma porção generosa de óleo de bronzear na mão e lubrificou o cuzinho...empinou a bunda e arrebitando-a pude ver aquele rabo tesudo, piscando enquanto ela enfiava seus dedos para lubrificá-lo...
Tomei o frasco de suas mãos e derramei sobre sua bunda um porção generosa de óleo...com o dedo médio, comecei a lubrificar aquele rabo delicioso...
Elisa, possuída, arrebitava a bunda e dizia:
 - Adooorro dar meu cú pra vocêe... Tenho o maior tesão quando você me fode sem dó...
- Você vai ter então o que merece Elisa....
- Come tua putinha, come...
Nessa altura, meu pau latejava de tesão...Elisa brincava com minha masculinidade, atiçando-a ao máximo...A idéia de foder a esposa daquele bebado de merda, realmente mexia com a minha imaginação...
Deitei-me ao seu lado e lentamente fui introduzindo meu pau no seu cuzinho delicioso...Elisa fazia força laceando seu anelzinho e empurrava ao mesmo tempo sua bunda de encontro a mim.
video

 Pouco a pouco, minha glande rompia suas pregas e centímetro a centímetro invadia aquela bunda maravilhosa.
Assim que entrou, coloquei Elisa de quatro e comecei a fodê-la feito uma cadela
 Elisa colava a cara na esteira e com as pernas abertas deixava seu rabo totalmente exposto para mim...a visão daquela marquinha de biquini branca naquela bunda morena, me deixava louco de tesão.
De uma só vez, retirei meu pau do seu cú e comecei a dar estocadas em sua buceta também...
Elisa urrou de tesão, quando a peguei de surpresa.
- Aiiii que tesãaooo....issooooo mee fodeeeee.....mas faz tua putaaaa...
.Olhou pra trás, no fundo dos meus olhos e pediu:
- Bate na minha bunda???
- Bato...
Dei-lhe um tapinha de leve na bunda...
- Bate forte...que nem machooooo.
- Elisa vai ficar marca....
- Que se fodaaaa...marcaaa a tua vadiaaa..Mostra pra aquele corno, que sou tuaaaa.
Desferi-lhe um tremendo tapa que estalou com força naquele rabo delicioso.
Elisa estava em transe...
- Enfia forte no meu cúuuu ....me fooodeeeee...
Tirei meu pau do seu rabo e deitei-lhe de papai e mamãe, passei a cabeça pela sua fenda molhada e posicionei meu pau na entrada do seu cú!!!
- Relaxa...vou te comer, olhando na tua cara, vadia....
Elisa jogou os pés por cima da minha cintura e ofereceu seu cú pra mim de franguinho assado...

Coloquei a cabeça na porta do seu rabinho, que lubrificado, não ofereceu muita resistência. A entrada foi fácil e profunda...Elisa respirava pesadamente, evidenciando o tesão que estava sentindo.
Apoiou seus pés no meu peito e comecei a estocar-lhe o cú rapidamente.
- Me fooodeeee... com forçaaaa...
- Vadia.. gostosaaaa...minha putinhaaaa....
- Issooo me chamaaa de tuaaa putinhaaaa.... eu sou a tuaaa putinhaaaa....
- Apertaaaa Elissaaaaaa....apertaaaaa.
Tirava o pau completamente, para depois enterrá-lo de uma só vez naquele rabo delicioso...senti o gozo vindo lentamente bem no fundo...
- Vou gozar....vem comigo...
Levantei as suas pernas colocando-as sobre meus ombros...retirava e recolocava o pau sem dó...castigando aquele cú delicioso...
O gozo veio forte, meio a seco mas com espasmos super fortes...Elisa contraiu-se toda, agarrada aos meus braços, enquanto eu sentia seu cú pulsando feito louco, em volta do meu pau...
Pesadamente, caí sobre ela...
- Te adoro....

CONTINUA...


sábado, 2 de junho de 2012

A NATUREZA TEM DESTAS COISAS...




CEBOLAS-TETAS??

PIMENTOS EM FORMA DE PILAS

AS ÁRVORES TAMBÉM TÊM SEXO? parece que sim...

LINDA ABÓBORA, NÃO?

QUE ÁRVORE SEM-VERGONHA!!

CONSOLO BIOLÓGICO...gostei do tamanho

MELANCIA  - BUNDA

UIII..ESTE DEVE PICAR!

LIMÃO NARIGUDO

SERÁ QUE AS ÁRVORES TAMBÉM GOSTAM?

ESTE PARA MIM É O MAIS IMPRESSIONANTE..REPAREM NAS FORMAS...